Associação Brasileira de Filosofia e História da Biologia

 

“Filosofia e História da Biologia”

 

Edição impressa: ISSN 1983-053X

Edição eletrônica: ISSN 2178-6224

Associação Brasileira de Filosofia e História da Biologia
Apresentação Edições Equipe Normas Aquisição Busca

Filosofia e História da Biologia

"A visualização da natureza e o entendimento do mundo vivo"
Palmira Fontes da Costa
Filosofia e História da Biologia, volume 1, páginas 247-269, 2006

artigo em formato PDF

Resumo: As imagens tiveram e, em larga medida ainda continuam a ter, um lugar subsidiário na historiografia da ciência. A sua utilização foi, e é, muitas vezes circunscrita à evocação de figuras e de ambientes. Um dos problemas na utilização de representações visuais em trabalhos na área da História da Ciência é a tendência frequente de se pressupor que existe uma relação unívoca entre a representação visual e a realidade, carecendo a utilização deste tipo de fontes de um estudo contextualizado e crítico. Este artigo aborda alguns dos trabalhos recentes sobre a importância das representações visuais no entendimento da natureza ao longo dos séculos XVI a XVIII. Após uma contextualização historiográfica, é dado especial destaque às ilustrações obtidas no contexto da empresa colonial portuguesa, sendo analisados em maior detalhe a utilidade e o significado das imagens patentes no Tratado de las Drogas y medicinas de las Indias Orientales (1578) de Cristovão da Costa e na História dos animais e árvores do Maranhão (1624) de Frei Cristovão de Lisboa, bem como algumas das ilustrações de José Joaquim Freire e de Joaquim José Codina realizadas no âmbito da expedição de Alexandre Rodrigues Ferreira à Amazónia (1783-1792).
Palavras-chave: historiografia; representações visuais; natureza, ciência e império

The representation of nature and the understanding of the living world

Abstract: Images had, and in a certain way they still continue to have, a subsidiary role in the historiography of science. Their use was, and often still is, limited to the evocation of figures and spaces. One of the problems of the use of visual representations in studies of history of science is the frequent tendency to assume that they have an unambiguous relationship reality, their utilization often lacking a contextualized and critical analysis. This article examines some of the recent works on the importance of visual representations in the understanding of nature between the sixteenth and eighteenth centuries. After an historiographical contextualization, special emphasis is given to illustrations obtained in the context of the Portuguese colonial enterprise. Two main works are analysed in more detail: the Treatise of drugs and medicines of the Oriental Indies (1578) by Cristovão da Costa and The history of the animals and threes of Maranhão (1624) by Frei Cristovão de Lisboa. Some of the illustrations made by José Joaquim Freire and Joaquim José Codina during the expedition to Amazon leaded by Alexandre Rodrigues Ferreira (1783-1792) are also examined.
Keywords: historiography; visual representations; nature, science and empire


Para ter acesso aos sumários de todos os volumes da revista Filosofia e História da Biologia, clique aqui.

 Associação Brasileira de Filosofia e História da Biologia (ABFHiB)