Associação Brasileira de Filosofia e História da Biologia

 

“Filosofia e História da Biologia”

 

Edição impressa: ISSN 1983-053X

Edição eletrônica: ISSN 2178-6224

Associação Brasileira de Filosofia e História da Biologia
Apresentação Edições Equipe Normas Aquisição Busca

Filosofia e História da Biologia

"'Condições de existência': constrições para uma plenitude das formas"
Frederico Felipe de Almeida Faria
Filosofia e História da Biologia, volume 2, páginas 179-190, 2007

artigo em formato PDF

Resumo: Georges Cuvier (1769-1832) acreditava que a natureza se entregava a toda sua fecundidade morfológica e funcional, desde que satisfizesse aos pressupostos do "princípio das condições de existência". Tal princípio funcionaria como uma constrição para a ocorrência plena das formas orgânicas imagináveis, explicando a existência, inclusive no passado, apenas das formas que obedecessem a tal princípio. Analogamente, tais idéias reservam pontos coincidentes com alguns dos elementos que vem servindo de base para a crítica, que defensores da Biologia Evolutiva do Desenvolvimento (Evo-Devo) fazem sobre a Síntese Evolutiva Moderna. Cuvier propunha que se despendesse uma vigorosa atenção a fatores internos, tais como as interações ocorridas entre as partes do corpo de um organismo, e as decorrentes conseqüências quando da alteração de tais partes, assim como na Evo Devo, onde, à diferença da Síntese Evolutiva Moderna, as interações entre as partes, ocorridas durante o desenvolvimento embriológico, também estão implicadas na ocorrência dos fenômenos evolutivos. Além dos fatores coincidentes, já apontados, a Evo-Devo, à semelhança do programa cuvieriano, também tem como objetivo cognitivo, a compreensão do fenômeno restritivo da plenitude das formas, o qual, neste trabalho, será analisado sob a orientação do ideal de ordem natural e do princípio de plenitude investigados por Stephen Toulmin e Arthur Lovejoy, respectivamente.
Palavras-chave: história da biologia; teoria da evolução; condições de existência; plenitude das formas; Cuvier, Georges; evo-devo

Conditions of existence: constraints to a fullness of forms

Abstract: Georges Cuvier (1769-1832) believed that nature indulged in all its fecundity morphological and functional, if it contended the assumptions for the "principle of the conditions of existence." This principle would serve as a constraint for the occurrence of full organic shapes imaginable, explaining the existence, including in the past, only of the forms that obey this principle. Similarly, such ideas reserve points coinciding with some of the elements that has served as the basis for the criticism that defenders of Evolutionary Developmental Biology (Evo Devo) made on the Modern Evolutionary Synthesis. Cuvier had proposed spending a vigorous attention to internal factors, such as the interactions occurring between the body parts of an organism, and the resulting consequences when the change of such parties, as in Evo-devo, where differently of the Modern Evolutionary Synthesis, the interactions between the parties occurred during embriological development, are also implicated in the occurrence of evolutionary phenomena. Besides coincident factors, already pointed out, the Evo-devo, like cuvierian's research program also has like its cognitive aims, the understanding of the restrictive phenomenon of fullness of forms, which in this work will be analyzed under the direction of the ideal of natural order and the principle of plenitude, respectively investigated by Stephen Toulmin and Arthur Lovejoy.
Keywords: history of biology; theory of evolution; conditions of existence; fulness of forms; Cuvier, Georges; evo-devo

Para ter acesso aos sumários de todos os volumes da revista Filosofia e História da Biologia, clique aqui.

 Associação Brasileira de Filosofia e História da Biologia (ABFHiB)