Associação Brasileira de Filosofia e História da Biologia

 

“Filosofia e História da Biologia”

 

Edição impressa: ISSN 1983-053X

Edição eletrônica: ISSN 2178-6224

Associação Brasileira de Filosofia e História da Biologia
Apresentação Edições Equipe Normas Aquisição Busca

Filosofia e História da Biologia

"Rosalind Franklin e seu papel na construção do modelo da dupla-hélice do DNA"
Marcos Rodrigues da Silva
Filosofia e História da Biologia, volume 2, páginas 297-310, 2007

artigo em formato PDF

Resumo: A história do modelo da dupla-hélice do DNA, proposto em 1953 por James Dewey Watson e Francis Crick, tem merecido a atenção dos historiadores no que diz respeito ao trabalho experimental de Rosalind Franklin com a difração de raio-X do DNA. Considerando que este trabalho forneceu as evidências empíricas fundamentais para a construção do modelo, questiona-se por que Watson e Crick não demonstraram muito entusiasmo com a participação de Rosalind. Para Watson, ela não teria nenhuma inclinação teórica para a representação helicoidal da molécula; já para Crick, Rosalind não era uma cientista muita imaginativa, e suas escolhas metodológicas a impediam de tentar descobrir algo sobre a estrutura do DNA sem utilizar muita experimentação. Porém alguns historiadores da biologia não aceitam este tratamento e questionam as considerações de Watson e Crick a partir de três linhas argumentativas distintas. Os três argumentos são enfáticos a respeito das contribuições de Rosalind para a estrutura do DNA. Neste artigo procurarei explicar a natureza dos três argumentos.
Palavras-chave: história da biologia; biologia molecular; modelo de DNA; Franklin, Rosalind; dupla hélice

Rosalind Franklin and her role in the construction of the double helix DNA model

Abstract: The history of the model for DNA, proposed in 1953 by Watson and Crick, has deserved attention by the historians in what concerns the experimental work of Rosalind Franklin with X-ray diffraction of DNA. Since that this work has provided the fundamental empirical evidences to the building of the model, is questioned why Watson and Crick weren't very excited with Rosalind's participation. To Watson, she wouldn't have any theoretical keen to the DNA helical representation; while to Crick, Rosalind was not a very imaginative scientist, and her methodological choices blocked her from trying to discover something about the DNA's. However, some biology historians didn't accept this treatment and questioned Crick and Watson's considerations from three distinctive argumentative lines. The three arguments are emphatic about Rosalind's contributions to the DNA's structure. In this paper, I shall try to explain the structure of the three arguments.
Keywords: history of biology; molecular biology; DNA model; Franklin, Rosalind; double helix

Para ter acesso aos sumários de todos os volumes da revista Filosofia e História da Biologia, clique aqui.

 Associação Brasileira de Filosofia e História da Biologia (ABFHiB)