Associação Brasileira de Filosofia e História da Biologia

 

“Filosofia e História da Biologia”

 

Edição impressa: ISSN 1983-053X

Edição eletrônica: ISSN 2178-6224

Associação Brasileira de Filosofia e História da Biologia
Apresentação Edições Equipe Normas Aquisição Busca

Filosofia e História da Biologia

"A relação entre Filosofia e Biologia na Alemanha do século XIX: a interpretação nietzschiana da seleção natural de Darwin a partir das teorias neolamarckistas alemãs"
Wilson Antonio Frezzatti Jr
Filosofia e História da Biologia, volume 2, páginas 457-465, 2007

artigo em formato PDF

Resumo: Não sabemos com certeza se o filósofo alemão Friedrich Nietzsche leu os textos capitais de Charles Darwin: A origem das espécies (1859) e A descendência do homem (1871). No entanto, em suas obras, encontram-se dispersas críticas aos principais conceitos estabelecidos pelo biólogo inglês: a luta pela existência, a seleção natural, a seleção sexual e o desenvolvimento da moral a partir dos instintos de compaixão e altruísmo (sympathy). Há fortes evidências de que Nietzsche construiu seu conhecimento sobre o evolucionismo darwiniano por meio de leituras científicas indiretas, especialmente os livros dos denominados neo-lamarckistas Carl L. Rütimeyer, Wilhelm Roux e W. Rolph e do físico Johann K. F. Zoellner. Nietzsche encontrou, nesses autores, noções que se opunham às idéias de Darwin e, em alguns casos, modificações das mesmas. Ao transpor essas noções para seu pensamento, o filósofo alemão utiliza-as, juntamente com suas próprias, na construção de conceitos fundamentais de sua filosofia, como, por exemplo, vontade de potência (Wille zur Macht). Neste trabalho, destacaremos as críticas que Nietzsche lança contra a seleção natural e suas conseqüências na investigação filosófica nietzschiana.
Palavras-chave: filosofia da biologia; Nietzsche, Friedrich; seleção natural; Roux, Wilhelm

The relationship between Philosophy and Biology in Germany at 19th century: the Nietzschean interpretation of Darwin's natural selection according to German neo-Lamarckian theories

Abstract: Nobody is sure whether Friedrich Nietzsche read the main texts of Charles Darwin, The Origin of Species (1859) and The Descent of man (1871). However, in his works, the criticism of the main concepts established by the English biologist are widely spread: the struggle for existence, the natural selection, the sexual selection and the moral development from the instincts of sympathy. There is strong evidence that Nietzsche knew the Darwinian evolution through the indirect scientific readings, mainly through the writings of the neo-Lamarckian biologists Carl L. Rütimeyer, Wilhelm Roux, and W. Rolph, and the physicist Johann K. F. Zoellner. Nietzsche found many opposite notions to Darwin's ideas in these authors and, in some cases any modifications of them. While transferring these ideas to his thought, the German philosopher uses them, along with his own ideas to construct the fundamental concepts of his philosophy, like for example, the will to power (Wille zur Macht). This article focuses the criticism that Nietzsche throws against the natural selection and its consequences for the Nietzschean philosophical thought.
Keywords: Philosophy of biology; natural selection; Nietzsche, Friedrich; Roux, Wilhelm

Para ter acesso aos sumários de todos os volumes da revista Filosofia e História da Biologia, clique aqui.

 Associação Brasileira de Filosofia e História da Biologia (ABFHiB)