Associação Brasileira de Filosofia e História da Biologia

 

“Filosofia e História da Biologia”

 

Edição impressa: ISSN 1983-053X

Edição eletrônica: ISSN 2178-6224

Associação Brasileira de Filosofia e História da Biologia
Apresentação Edições Equipe Normas Aquisição Busca

Filosofia e História da Biologia


"Manuel Aires de Casal, o beemote de Jó e o registro das ocorrências fossilíferas brasileiras no início do século XIX"
Antonio Carlos Sequeira Fernandes, Felipe Faria, Miguel Telles Antunes
Filosofia e História da Biologia, v. 8, n. 2, p. 133-150, 2013.

artigo em formato PDF

Resumo: As duas últimas décadas do século XVIII e o início do século seguinte foram marcados pelas notícias da existência de gigantescas ossadas de uma fantástica animália que teria habitado as terras de Minas Gerais e do Nordeste do Brasil. Desta última região, duas localidades, Rio de Contas, na Bahia, e Pão de Açúcar, em Alagoas, foram mencionadas por Manuel Aires de Casal em sua obra Corografia Brasílica, de 1817. Nesta obra, apesar de reunir informações sobre as diversas regiões do Brasil, Aires de Casal não fez referências às ocorrências fossilíferas já documentadas e conhecidas pelas populações locais. Este fato corrobora a sugestão de que Aires de Casal era mais um excelente rebuscador de arquivos e bibliotecas do que um viajante atencioso às riquezas naturais do território brasileiro. Como homem culto, soube tecer considerações sobre as ossadas, interpretando-as como representantes de elefantes extintos que teriam habitado o sertão nordestino.
Palavras-chave: fósseis; megafauna; século XIX

Manuel Aires de Casal, the behemoth of Jo and the record of the Brazilian fossil sites at the beginning of the 19th century

Abstract: The last two decades of the 18th century and the beginning of the 19th century were marked by news on the existence of huge bones of fantastic beasts that have inhabited Minas Gerais State and northeastern Brazil. The localities of Rio das Ostras in Bahia State and Pão de Açúcar in Alagoas State were mentioned by Manuel Aires de Casal on his Corografia Brasílica (1817). In this work, despite gathering information about many Brazilian regions, Aires de Casal has not referred to fossil findings already reported and known by the local population. This fact shows that Aires de Casal was mainly an outstanding file and libraries investigator instead of a traveler interested on the natural resources of Brazil. As an enlightened man he did some considerations on the bones, which were interpreted as extinct elephants that once inhabited the northeastern Brazilian bushes
Keywords: fossils; megafauna; 19th century

Para ter acesso aos sumários de todos os volumes da revista Filosofia e História da Biologia, clique aqui.

 Associação Brasileira de Filosofia e História da Biologia (ABFHiB)