Associação Brasileira de Filosofia e História da Biologia

 

“Filosofia e História da Biologia”

 

Edição impressa: ISSN 1983-053X

Edição eletrônica: ISSN 2178-6224

Associação Brasileira de Filosofia e História da Biologia
Apresentação Edições Equipe Normas Aquisição Busca

Filosofia e História da Biologia


"Function and normativity in social-ecological systems"
Nei de Freitas Nunes-Neto, Cristian Saborido, Charbel N. El-Hani, Blandina Viana and Alvaro Moreno
Filosofia e História da Biologia, v. 11, n. 2, p. 259-287, 2016.

artigo em formato PDF

Abstract: We all live in social-ecological systems. Farms, fisheries, gardens, small towns and big cities are examples of hybrid systems that result from tight interactions between social human components and strictly ecological components. The contemporary literature on social-ecological systems has fo-cused on many different features of them, such as resilience and adaptability, governance, trust relations, measurements of resilience. In this paper, our focus lies in three aspects of social-ecological systems: functionality, organiza-tion and normativity. Our central aim in this paper is to discuss the con-cepts of function and norm in social-ecological systems, inspired by organiza-tional approaches from philosophy of biology and ecology. Moreover, we also briefly discuss about the need to integrate ethical considerations to the epistemological ones, towards a more complete philosophical approach of social-ecological systems. According to the approach we draw in this paper, there is a double normativity linked to social-ecological systems. These are the natural norms (by and for ecological systems, such as ecosystems, wild bees, crops and wild plants), identified with basic functions (or constraints); and social norms (by social subsystems in social-ecological systems, such as farmers, beekeepers, governments, for themselves or for ecological items), identified with regulatory functions (or regulatory constraints). Based on this distinction we elaborate on the complex relationships one kind of norm establish to the other. We hope with this paper also to stimulate more par-ticipation of philosophers of ecology as well environmental philosophers on epistemological and ethical reflections on social-ecological systems.
Keywords: organization; regulatory functions; natural norms; social norms; social-ecological systems

Função e normatividade em sistemas sócio-ecológicos

Resumo: Todos nós vivemos em sistemas sócio-ecológicos. Fazendas, comunidades de pesca, jardins ou parques, pequenas e grandes cidades são exemplos de sistemas híbridos que resultam de interações estreitas entre os componentes sociais humanos e componentes estritamente ecológicos. A literatura contemporânea sobre os sistemas sócio-ecológicos tem se concentrado em muitas de suas diferentes características, tais como a resiliência e a adaptabi-lidade, governança, relações de confiança e as medições da resiliência. Neste artigo, nosso foco reside em três aspectos dos sistemas sócio-ecológicos: funcionalidade, organização e normatividade. O nosso objetivo central neste trabalho é discutir os conceitos de função e norma em sistemas sócio-ecológicos, inspirados nas abordagens organizacionais da filosofia da biologia e ecologia. Além disso, nós também discutiremos brevemente sobre a ne-cessidade de integrar considerações éticas às questões epistemológicas, no sentido de uma abordagem filosófica mais completa de sistemas sócio-ecológicos. De acordo com a abordagem que esboçamos neste trabalho, há uma dupla normatividade nos sistemas sócio-ecológicos. Estas são as normas naturais (por e para os sistemas ecológicos, tais como os ecossistemas, abelhas e plantas selvagens), identificadas com as funções básicas (ou restri-ções); e as normas sociais (por subsistemas sociais dos sistemas sócio-ecológicos, como agricultores, apicultores, governos, atuando sobre si mes-mos ou sobre componentes naturais, ecológicos), identificados com funções de regulação (ou restrições regulatórias). Com base nesta distinção elaboramos sobre as relações complexas que um tipo de norma estabelece com o outro tipo. Esperamos com este trabalho também estimular maior participa-ção dos filósofos da ecologia, bem como filósofos ambientais, em reflexões epistemológicas e éticas sobre sistemas sócio-ecológicos.
Palavras-chave: organização; funções regulatórias; normas naturais; normas sociais; sistemas sócio-ecológicos

Para ter acesso aos sumários de todos os volumes da revista Filosofia e História da Biologia, clique aqui.

 Associação Brasileira de Filosofia e História da Biologia (ABFHiB)